quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

RETROSPECTIVA PESSOAL


Feche os olhos e volte. Estamos no fim de 2010 e não vai ter como fugir da sua retrospectiva pessoal. Tente se lembrar daquilo que só você sabe que aconteceu, daquele erro que você não entende porque cometeu e se ainda não se perdoou por ele, perdoe-se agora.  Pode ter sido sua culpa ou não, não importa mais, já passou. Esqueça, apague, não te fará bem guardar isso.
Se lembre agora do que te deixou mais feliz e reviva o momento, sinta tudo outra vez. Pode ter sido sozinho, com alguém, com a família. Pode ter sido uma tarde ensolarada, um dia chuvoso, uma noite qualquer, somente se lembre de como isso te fez sentir humano, vivo. Enfim, lembre-se de tudo que fez o seu 2010 ser inesquecível, seja por aquela viagem inesquecível, por aquele carro que você finalmente conseguiu comprar, pela vaga na faculdade que é sua! Abra os olhos e veja onde e como está. Se estiver feliz, parabéns: Foi um ano que realmente valeu a pena né? Se estiver triste: coragem. Você ainda tem 2011, 2012, e todos os próximos anos 2000 e alguma coisa pra acertar. Só depende de você fazer com que esses acertos venham o mais breve possível, então levante logo esse traseiro gordo da cadeira e pare de esperar que tudo caia do céu, porque pelo que dizem os meteorologistas, a única coisa que vai cair do céu é muita chuva no novo ano ¬
Portanto, tenham todos um feliz 2011, cheio de realizações e muito sucesso!
Beijo grande =)

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Não mantenha contato


Estranho perceber que durante todo esse tempo eu não te conhecia. Pior ainda é perceber que você é totalmente o que eu não imaginava. Se eu fechar os olhos, tudo passa. Queria ser cega, mergulhar no escuro. Num escuro que me devolva a luz que, aos poucos,de mim você roubou. Não queira se justificar, não estou disponível.
Páre de falar, por favor. Faça silêncio por um segundo. Consegue escutar? É a voz do meu desprezo.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Poupe-me da mentira natalina!

Me pergunto qual a real necessidade em mentir sobre a existência de um bom velhinho, que sai lá do Pólo Norte, da Finlândia, ou do buraco gelado que seja para, num gesto de generosidade e que provavelmente deve ser também bem cansativo, distribuir pelo mundo inteiro aquele presente tão especial que a criançada toda esperou um ano pra receber. Não que eu tenha ficado desapontada por um dia descobrir que era mentira, mas sim por simplesmente querer poupar a sociedade, que já não agüenta mais a mesma chatice todo Natal. Sejamos francos: Querido Papai Noel, já deu né? Você precisaria de milésimos de segundo por casa visitada no mundo todo numa única noite e, particularmente, acho que isso só seria possível por teletransporte ( tecnologia ainda não desenvolvida). Portanto, poupe-nos de toda essa balela anual e tire umas férias nesse ano. Permita que o povo pense mais em Deus, que é o verdadeiro motivo da comemoração, ao invés de se preocupar com o tão fútil presente.
Mesmo assim, tenham todos um Feliz Natal, até aqueles que acreditam em Papai Noel.

domingo, 19 de dezembro de 2010

Prelúdio de felicidade

Não há nada nesse mundo que eu queira mais do que você. E eu não conheço nada que me complete mais. Eu posso sobreviver do seu sorriso. Posso ser quem eu quiser se estiver com você. Então pegue minhas mãos, me beije na testa e, olhando em meus olhos, me diga também que nunca fora tão feliz.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Assumindo identidade.

Há tempos que eu queria botar a cara aqui, mas sempre achei o oculto muito mais interessante. Mas por mais que seja interessante, sou movida por vontades, e simplesmente deu vontade de me apresentar. Pra quem queria saber quem eu sou, ta ai meu nome, minha foto, minha cidade: o necessário. Quem eu realmente sou eu mostro nos textos. Beijos a todos.

Inúteis Crenças


Se me perguntarem no que acredito, acredito na vida, em mim, no homem. Acredito que ainda tem jeito. Seja pra guerra no Oriente, seja pras picuinhas entre as duas Coréias. Acredito que ainda tem jeito de brecar o Aquecimento Global, que o tráfico de drogas ainda tem solução. Acredito que o funk vai ter letras construtivas e que vai nascer um novo Tom Jobim. Acredito na união das religiões, na paz entre as nações, na reconstrução do Haiti. Acredito no fim da pobreza, que o preço das batatas Pringles vai cair, que o mundo não acaba em 2012. Acredito no fim do trabalho infantil, do fim da violência contra a mulher, na recuperação da economia africana. Acredito na educação nas escolas públicas, no ‘ Ordem e Progresso ‘, no fim da corrupção.. Acredito que..
- Ai mãe, não me acorda não.. deixa eu continuar sonhando!

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

PRÊMIO DARDOS

Sinto-me honrada pelo meu primeiro selo como blogueira. Ele veio de um blog muito especial, o qual tenho prazer em seguir: katerineknust.blogspot.com
Agradeço à amiga blogueira pelo grande presente :)
O que é o Prêmio Dardos?

"O Prêmio Dardos é o reconhecimento dos ideais que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc... que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, e suas palavras. Esse selo foi criado com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros; uma forma de demonstrar o carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à web."

Regras:

- Exibir a imagem do Selo no Blog

- Exibir o link do blog que você recebeu a indicação

- Indicar outros (sem número limite) para premiar.

-Avisar os escolhidos

Então, segue abaixo minhas indicações a quem entrego o Prêmio Dardos:
http://pessoaesdruxula.blogspot.com/
http://heismycocaine.blogspot.com/
http://diistance.blogspot.com/

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

A dor que mais dói


Unha encravada. Existe coisa que dói mais? Fala sério, leitor. Você pisa no chão, coloca um sapato, um tênis e aquele pedaço de unha entranhado na sua carne tá lá te incomodando. Dá vontade de abrir um buraco no dedo e arrancá-la com a primeira coisa que se vê pela frente, dá vontade de meter um alicate e estrangular a unha, o dedo, o pé, o que tiver no caminho! O pior é que existe, existe coisa que dói mais sim. Chegar em casa e não ver que ela está lá no quarto estudando, e mesmo que se você estivesse na sala assistindo ao jogo, você saberia que ela está ali e isso te aliviaria. Sair de casa sem ter de quem se despedir com um beijo. Voltar pra casa e ninguém perguntar por onde você andou até aquela hora. Não ter aquele perfume, aquela calcinha pendurada no Box do banheiro. Não ter ninguém enchendo o saco pra você levantar o assento do vaso sanitário e tampar a pasta de dentes. Não ter ninguém pra implicar e sacanear no jogo de futebol do time dela, que por sinal, está um lixo. Não ter ninguém pra dividir a limpeza da cozinha, depois do almoço de domingo. Não ter companhia pra um cinema. Não ter com quem fazer guerrinha de travesseiro. Não ter, não ter, não ter. Eu não acredito em dor maior. Quando a gente tem saudade, a gente não tem mais nada mesmo.
-Inspirada no texto "Saudade", de Miguel Falabella