sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Inutilidade

Ainda era madrugada, 5 horas da manhã. Me faltava sono, fome e vontade. Vontade de tudo. Não queria mais ficar na cama, entretanto, não queria levantar. Não queria ficar com fome, mas também não queria fazer café. Só queria sumir. Que a cama me engolisse, que por um minuto eu parasse de existir. Inútil pensamento. Nada que eu quisesse ou fizesse o tiraria de lá, dos braços dela, da cama dela. E nada que eu quisesse ou fizesse o tiraria daqui, da minha mente, de mim. Virei pro lado, voltei a dormir. Eu ainda quero que isso seja só um sonho. Quero acordar e ver que nada disso aconteceu, que eu não te conheço nem de nome. Más notícias: já são 11 horas e eu continuo igual. A mesma das 6 horas atrás.