terça-feira, 30 de novembro de 2010

E ai, de quem é a culpa?


Pobres traficantes, perderam a piscina, a hidromassagem, a TV de plasma.. E eu aqui com esse chuveiro que demora a esquentar, tendo que ir pra piscina da vizinha, assistindo o jornal na TV HD (horrível definição). Já tava na hora daquela palhaçada acabar. O que eu tenho me perguntado é se os verdadeiros palhaços, os que financiam o tráfico, vão ter as casas invadidas, a firma quebrada. Porque se não a palhaçada só muda de endereço. O que eu tenho me perguntado é qual vai ser o nome do próximo complexo bolado na mão dos bandidos; quantos blindados , caveirões, helicópteros ainda vão ser necessários pra que o povo possa finalmente ser feliz e andar tranquilamente na favela onde nasceu?
Vaiar os traficantes é fácil. A atitude deles é realmente repugnante. Mas o tráfico só existe porque existem compradores. Então por que você não vaia o seu amigo usuário, o seu primo viciado? Vaie o que dá dinheiro pro sistema. Se o sistema é foda, ele é o culpado.

O que ninguém precisa saber


O que ninguém precisa saber é que no verão, as noites são mais curtas que os dias, e que correr na chuva não te faz molhar-se menos. O que ninguém precisa saber é que temos que beber de 2 a 4 litros de água por dia - ninguém bebe isso tudo mesmo - e que o peito da mãe da sua amiga é silicone.Ninguém precisa saber que você não enxerga bem de um olho, e que você mentiu quando disse que a bateria do telefone acabou justamente no meio da briga. Ninguém precisa saber que você tem preguiça de tomar banho e que nem sempre escova os dentes antes de dormir. Ninguém precisa saber que você colou aquele chiclete debaixo da mesa e que mentiu pra moça da loja quando disse que voltaria pra levar aquele sapato. Ninguém precisa saber que eu penso em você o tempo inteiro e que até hoje eu espero pelas flores que você me prometeu. Ninguém precisa saber o seu nome, o seu endereço ou telefone, só eu.  Ninguém precisa saber que você invadiu meu coração num blindado e destruiu todos os conceitos de amor que outrora eu tinha, e criou um próprio: o seu. Ninguém precisa saber que se a sua missão era ocupar totalmente os meus planos futuros, você conseguiu, Sr. comandante. Eu me rendo. A única coisa que tem-se urgência em saber é se você aceita.. Se aceita ficar comigo pra sempre.